Maduro alfineta governo Jair Bolsonaro e faz manifestação pró-Lula
Maduro alfineta governo Jair Bolsonaro e faz manifestação pró-Lula
15/04/2019 às 18:40

marcelo ferreira

Olá sou Marcelo FB sou redator e dono desse site. Sou formado em educação física e adoro escreve matéria para blogs e site atualmente faço artigos para esse site.

Maduro faz manifestação pró-Lula na Venezuela durante evento político. O evento político Assembleia Internacional dos Povos, efetuado em Caracas esta semana, exibiu como o regime dita dorial de Nícolas Maduro continua esperto com a esquerda brasileira. Em  que foi estabelecido na hora do encontro, o chefe venezuelano recolheu uma bandeira do chefe do Movimento dos Trabalhadores Sem Terra (MST), João Pedro Stédile. Nela, lê-se a frase “preso político”.

Gesto pode ser visto como mais uma provação ao governo de Jair Bolsonaro

Posando para fotos, Maduro e outras forças bolivarianas fazem um “L” com as mãos, símbolo das campanhas do ex-presidente brasileiro. Após quatro dias, o recolhimento da Assembleia nesta quarta-feira (27), realçou que estiveram presentes partidos políticos, movimentos sindicais e famosos de 85 países.

“Peço aos movimentos políticos e sociais que levem a realidade da pátria de [Simon] Bolivar e [Hugo] Chávez a todos os países, como parte da luta pelo direito dos povos por um mundo digno e justo. A Venezuela não está sozinha”, confirmou  Maduro.

Em mensagem no Twitter, Stédile afirmou: “O imperialismo estadunidense, suas petroleiras e os doidos bolsonaros foram derrotados em Bogotá. Ganhou a política da sensatez, o povo da Venezuela e o governo Maduro. A ocupação militar foi afastada, ainda que o cerco da guerra híbrida continue. Muitas vidas se acolitaram”.

A associação de Maduro com a imagem de Lula  pode ser visto como mais uma ofensa ao governo brasileiro, que certificou, junto com os Estados Unidos, Canadá, Colômbia, Brasil e parte da União Europeia o opositor Juan Guaidó como presidente interino.

De fato, o Partido dos Trabalhadores foi um dos avalistas da chamada ‘rebelião bolivariana’ acarretada por Hugo Chavéz no início dos anos 2000 e que atingiu na crise econômica e humanitária que seu país atravessa hoje.

Deixe seu comentário