Revista Veja faz criticas a bancada evangélica que é grande na câmera
Revista Veja faz criticas a bancada evangélica que é grande na câmera
06/05/2019 às 16:41

Revista Veja faz criticas a bancada evangélica que é grande na câmera Deputado defende relacionar homofobia como patologia

Silas Câmara diz que criminações de peculato “não procedem” e que confia no STF

Bancada evangélica rejeita imposto para igrejas e critica secretário


Você sabia que Lula e Dilma são católicos? Qual era a religião do ex-presidente Collor? Sabia que FHC é agnóstico (sem religião)? Por que então se destaca tanto que o Presidente Bolsonaro é amigo da bancada evangélica ou que é católico ou que foi batizado no Rio Jordão por evangélicos etc.?

Desde a primeira vitória de Dilma nas eleições de 2010 que o fator “comunidade evangélica” vem sendo permanente nas disputas eleitorais. Marina Silva, em 2014, alcançou mais de 20 milhões de votos, ficando em terceiro lugar. Curioso que a mesma, após contornar nas pautas morais que são caras ao eleitorado evangélico como o aborto, por exemplo, não chegou a 1 milhão de votos no primeiro turno das eleições de 2018.

Em um dia, duas matérias icônicas contra a força evangélica no parlamento e no executivo. Em alguns casos mais folclóricos, fica até fácil fazer um comentário cético e irônico; porém, o expediente do dia neste veículo de comunicação foi todo voltado para tentar desconstruir na mente de seus leitores a ideia de que o Brasil é um país que tem rechaçado toda tentativa de tornar este território num acampamento continental do socialismo-bolivariano.

Para eles, o obstaculo é que tem muito evangélico na Câmara. “Veja” só! Será que há um saudosismo dos tempos em que a minoria dos deputados assumia seu apreço ao materialismo histórico ateísta de Karl Marx nos ambientes do parlamento? O Brasil ideal tem de ser laico (sem uma religião oficial, mas autorizado a liberdade religiosa) ou deve ser ateu (religião dos que se prejudicam com a religião)?

Decididamente, o Brasil é um país muito religioso e majoritariamente cristão. E os cristãos não estavam realizados com os rumos ideológicos da nação, de modo que, nas urnas, participou para que o bastão do poder definir desse um giro de 180.º e chegasse às mãos de um presidente que visivelmente foi empático com as demandas sociais, políticas e filosóficas desta classe importante e de realce na configuração geopolítica atual.

“Veja” a coisa pelo lado bom. Sempre tem coisa boa no lado que pensa diferente de você.

marcelo ferreira

Olá sou Marcelo FB sou redator e dono desse site. Sou formado em educação física e adoro escreve matéria para blogs e site atualmente faço artigos para esse site.
Deixe seu comentário